Pública

AGÊNCIA DE REPORTAGEM E JORNALISMO INVESTIGATIVO

Quem somos

Pioneira do Brasil, a Agência Pública aposta num modelo de jornalismo sem fins lucrativos para manter a independência. Todas as nossas reportagens são livremente reproduzidas por diversos veículos sob a licença creative commons. Veja a nossa lista de republicadores.

Nossa missão é produzir reportagens de fôlego pautadas pelo interesse público, sobre as grandes questões do país do ponto de vista da população – visando ao fortalecimento do direito à informação, à qualificação do debate democrático e à promoção dos direitos humanos, .

Todas as nossas reportagens são feitas com base na rigorosa apuração dos fatos e têm como princípio a defesa intransigente dos direitos humanos. Nossos principais eixos investigativos são: os preparativos para a Copa do Mundo de 2014; megainvestimentos na Amazônia; e a ditadura militar

Entre nossos parceiros estão centros independentes de jornalismo da América Latina, dos Estados Unidos e Europa, além de veículos tradicionais e expoentes das novas mídias. Veja nossa lista de parceiros.

Além de produzir, a Pública atua para promover o jornalismo investigativo independente, através de programas de mentorias para jovens jornalistas e bolsas de reportagem.

Para nós, o jornalismo não está em crise – está em renovação. A Pública acredita na reportagem. E no repórter.

Equipe

Jessica Mota, repórter


Paraense, de Belém, sempre quis viver de contar histórias.
Para ser jornalista, decidiu morar em São Paulo em 2009.
Desde então, fez parte de uma das equipes vencedoras do 4º Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, com a reportagem “Olhar Indigesto”.
Participa da equipe da Pública desde outubro de 2011.

Roberta Carteiro, gerente administrativa


Formada em Logística, já atuou como gerente administrative em projetos privados e públicos, como no projeto Educom.
Rádio, do Núcleo de Comunicação e Educação ECA/USP, com parceria da Prefeitura de São Paulo.
Na Casa da Cultura Digital, coordenou a área administrativa e operacional e assumiu a Direção Administrativa do Festival de Cultura Digital Br, em 2011.

Luciano Onça, video


Formado em História pela USP e pós-graduado em economia pela PUC-SP, trabalhou com projetos de educação, cultura e desenvolvimento local e em administração pública, coordenando entre outros projetos o Proext Cultura, pela Secretaria de Políticas Culturais do MinC.
Luciano é produtor de video-reportagens para o site da Pública e em projetos especiais.

Natalia Viana, diretora


Jornalista há mais de dez anos, sempre se dedicou ao jornalismo independente.
Iniciou sua carreira na Caros Amigos e colaborou com a BBC, Guardian, Independent, Sunday Times, The Nation e com o WikiLeaks, coordenando o vazamento de documentos brasileiros.
É autora e co-autora dos livros “Plantados no Chão”, “Movimento, uma Reportagem” e “Habeas Corpus – Apresente-se o Corpo” e vencedora dos prêmios Vladimir Herzog (menção honrosa), Andifes, Allianz e Troféu Mulher Imprensa (2011 e 2013).
Participou da fundação da Agência Pública em 2011, e hoje é diretora.

Ciro Barros, repórter


Formado em Jornalismo pela Cásper Líbero em 2012, passou pelo jornal Lance!
Antes de se tornar repórter do Copa Pública, onde cobre os preparativos para a Copa do Mundo de 2012.
Acredita que a discussão sobre esporte não pode ser desvinculada do contexto social brasileiro, nem resumida a resultados.

Luiza Bodenmüller, secretária de redação


Jornalista formada pela Faculdade Estácio de Sá, em Florianópolis, já atuou em diferentes áreas do Jornalismo, de produção de roteiros à assessoria de imprensa para o terceiro setor.
Na Pública desde 2011, colaborou desde o começo como como analista de redes sociais.
Hoje, é nossa secretária de redação.

Marina Amaral, diretora


Repórter e editora desde 1984 com passagens pela Folha de S. Paulo, Jornal da Tarde, TV Record, Globo Rural e TV Cultura.
Entrou na imprensa alternativa no lançamento da revista Caros Amigos, em 1997, onde ficou dez anos, tendo recebido um prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos (1998) e uma menção honrosa.
Participou da fundação da Pública em 2011, onde exerce o cargo de diretora de jornalismo.

Andrea Dip, repórter especial


Jornalista há dez anos, começou sua carreira na revista Caros Amigos sob orientação do mestre Sérgio se Souza.
Passou por veículos impressos e online e colaborou com publicações como a Revista do Brasil, Fórum, Marie Claire, GQ, Gloss, sempre como repórter.
Ganhou três prêmios de jornalismo e direitos humanos do CRESS, um prêmio ANDIFES de jornalismo e foi finalista do GP Ayrton Senna.
Juntou-se à equipe da Pública em dezembro de 2011.


Conselho Consultivo